Aceptar

Utilizamos cookies propias y de terceros para mejorar la experiencia de navegación y ofrecer contenidos y servicios de interés.
Al continuar con la navegación, entendemos que se acepta nuestra política de cookies.

Artesanato

Os artesãos vendem as produções da sua indústria e as manufacturas de suas artes e oficios, dice Jovellanos no século XVIII depois de estudar o primeiro exemplo que tinha à vista: o mercado artesão gijonês.

Ao termo artesanato que, como vemos, tem padrinho em Gijón e foi introduzido no nosso vocabulário no século XVIII, deveriamos acrescentar os adjectivos tradicional e/ou popular. O primeiro é indicativo de uma herança que permanece ainda entre nós, e o segundo, de aquilo que herdado ou não, tem plena vigência entre a gente.

Em Gijón encontramos agora mesmo referências exemplares de artesanato tradicional e popular, artesãos e artesãs que trabalham ao velho estilo combinado, também, com as novas ideias. O artesão gijonês actual é inquieto e buscador, baseando-se no desenho tradicional das peças e dos objectos artesanais, procurando uma nova forma, a criação estética pessoal.