Aceptar
Utilizamos cookies propias y de terceros para mejorar la experiencia de navegación y ofrecer contenidos y servicios de interés.
Al continuar con la navegación, entendemos que se acepta nuestra política de cookies.

Gijón de bicicleta, uma alternativa para percorrer a cidade

Votos

(Total de votos recibidos 1775)

(Puntuación 3,00)

bicii

Nos últimos anos, a cidade viveu um incremento de quilómetros de ciclovias a par do aumento de pessoas que utiliza este meio de transporte. Como muitas cidades europeias, Gijón destaca-se pelo uso das “duas rodas” como alternativa ao carro. A bicicleta é, também, um magnífico meio para percorrer Gijón, para aqueles que a visitam.

Mais de 19,5 km de ciclovia à disposição dos utilizadores e xx km projetados, fazem de Gijón um destino ideal para os amantes da bicicleta. Além disso, o serviço Gijón Bici permite utilizar de maneira gratuita 64 bicicletas que se podem encontrar em 8 estações funcionais para mover-se livremente por toda a cidade. Para utilizar este serviço tem apenas que ser titular do cartão do cidadão que pode ser pedido por qualquer pessoa, residente ou não, em www.gijon.es ou nos pontos de informação ao cidadão.

Na zona rural, há vários caminhos perfeitos para serem percorridos em bicicleta.

Caminho de El Rinconín-La Ñora.10,35 km. Passeio pelo litoral oriental do concelho, de dificuldade alta já que abundam as subidas durante todo o trajeto. Na primeira parte pode, ainda, desfrutar das numerosas esculturas que marcam o caminho, como a Solidariedade, Cantu los díes fuxíos, ou o Monumento às vítimas do Holocausto nazi. No parque marítimo do cabo San Lorenzo, um espaço natural de extraordinária beleza, pode ver-se o impressionante miradouro em forma de barco.

Caminho de Llorea-La Ñora. 4,5 km.O riacho de La Ñora faz a divisão entre Somió e Quintueles e, antes de desembocar, forma um espaçoso estuário que nos leva até à praia de La Ñora, fronteira de Gijón e Villaviciosa. Em frente ao areal está a famosa Peña'l Romero, que surge na maré baixa, pedra lisa diante desta praia, paraíso de banhistas e pescadores de onde se avista o Cabu San Llorienzo e, em dias claros, o Cabu Peñes e pode percorrer-se até à rocha Quintueles e o rochedo El Sorbiatu, em que foram encontradas as misteriosas pegadas dos dinossauros.

Caminho de Peñafrancia. 6 km. É um percurso perfeito para fazer com crianças. O caminho termina num espaço paradisíaco: o Güeyu Deva, conjunto de fonte, tanque e ponte de pedra, onde as águas repousam na grande lagoa. Do güeyu ou olho, de onde nasce o riacho, conta a lenda que saíam as xanas (ninfas asturianas das águas), aparecendo ao amanhecer de certos dias, como o de São João, quando podiam ser desencantadas, símbolo do culto à deusa celta da natureza, Deva, adorada em fontes e rios, com a ermida de Nossa Senhora de Peña Francia (séc. XVII) a parecer querer cristianizar este espaço sagrado.

Caminho Fluvial do Piles. 19 km. Este itinerário fluvial associado ao rio Piles estende-se ao lango de quase vinte quilómetros entre a ponte do Piles e a freguesia de Vega. Durante os dois primeiros quilómetros, o caminho tem o ar de um tranquilo passeio urbano. Na confluência dos rios Piles e Peñafrancia, adquire um aspeto mais natural e o piso de asfalto colorido dá lugar a um solo de areão calcário.

Via Verde de La Camocha. 7 km.Este itinerário, que segue boa parte do traçado do caminho de ferro mineiro que ligava as minas de La Camocha e Veriña, parte do povoado de Santa Bárbara (Tremañes) e durante o seu percurso poderemos ver o meio rural, arvoredo autóctone, zona industrial, quintas asturianas, casas, igrejas rurais e minas. Um bom resumo do que tem sido Gijón ao longo da sua história.

A estas propostas indicadas, podem juntar-se outras rotas alternativas para bicicletas de montanha que, percorrendo a Gijón mais rural levam até aoPicu’l Sol, ou o Picu’l Fariu. Itinerários para os amantes das alturas que oferece, aos que chegam à meta, magníficas vistas sobre o concelho.

Outros espaços para rodas sem fumo

Mas a bicicleta não é a única protagonista sem motor da cidade: patins, trotinetas e skates figuram no lazer de muitos, em Gijón. A Praia de Poniente acolhe um elevado número de patinadores aos fins de semana sendo possível receber formação gratuita com os programas do Patronato Deportivo Municipal. Para os mais atrevidos, o skate-park de Cimavilla, com 1.700 m2, que conta com um poço de três alturas para os níveis especialista, médio e baixo. Dispõe ainda um snake run para os streets, um handrail alto, baixo e de solo, um hubba, um hip-hop de planos inclinados, um panter, ou funbox ou pirâmide, um aerogap e um full jam.

Se não tiver trazido a sua própria bicicleta

Pode usar o serviço Gijón-Bici, que é gratuito, mas énecessário ser titular do cartão de cidadão (pode pedi-lo previamente em www.gijon.es, sem necessidade de ser residente).

● Horário inverno (outubro a março): 8.30 a 18.00.

● Horário verão (abril a setembro): 8.30 a 15 e 17.30 a 21.00.

● Indisponível nos dias 24, 25 e 31 de dezembro; 1, 5 e 6 de janeiro; 1 de maio.

Na Ecológica há aluguer e venda de Segways e bicicletas (normais, dobráveis e de duas pessoas)

Marqués San Esteban, 69 bajo e Fomento (Espigón de Talasoponiente)

Tlfs: 985 34 31 70 e 645 313 359/696 935 001

www.ecologicaasturias.com

O aluguer inclui capacete e cadeado sem custos adicionais, descontos especiais para grupos.

Desconto de 50% em bicicletas e 20% em segways.

A partir de Gijón, de bicicleta, a outros pontos das Astúrias

Em todo o principado das Astúrias há bonitas paisagens para percorrer de bicicleta. A partir de Gijón pode utilizar a rede de Cercanías da RENFE das Asturias (2 bicicletas por carruagem) e FEVE (entre 3 e 12 por combóio, em função dos horários.)

Palabras clave Turismo, 2013